O que é normal ou não durante a gestação



A gestação traz uma série de mudanças no corpo da mulher e alguns sintomas, por mais diferentes que sejam, são absolutamente comuns nessa fase e não estão diretamente relacionados a alguma doença. Porém algumas mamães têm dificuldades de identificar se as novas sensações são normais ou não. Fique atento às nossas dicas e descubra se o que você está sentindo é normal ou pode estar relacionado a algo mais sério.

- Falta de ar: após o sexto mês de gestação, o útero empurra o intestino contra o diafragma, o que pode dificultar a respiração. Caso a sensação de falta de ar seja leve, o sintoma é normal e faz parte da adaptação do corpo. Mas não é comum sentir o incômodo durante o repouso. Nesse caso, é necessária uma avaliação médica para descartar doenças cardiológicas ou respiratórias.

- Dor nas costas: cerca de 50% das gestantes são atingidas por dores nas costas devido à mudança de postura pelo aumento da barriga. Hidroginástica e acupuntura são boas alternativas e ajudam a aliviar a dor. Caso a dor seja persistente, é válido consultar um médico.

- Sangramento: poucas gotas e de coloração escura não costumam representar um problema, pois pode ser apenas uma ferida no colo do útero. Porém, uma perda de sangue em maior quantidade e com coloração mais viva pode representar um perigo à gestante e ao bebê. Quanto mais cedo o problema for diagnosticado, melhor.

- Cólicas: são absolutamente normais, especialmente no primeiro trimestre gestacional. Mas se após esse período a sensação persistir e estiver associada a sangramento, procure um médico imediatamente.

- Prisão de ventre: cerca de 38% das gestantes são atingidas pelo sintoma, que ocorre devido a progesterona. Ingestão de líquidos e alimentos integrais, ricos em fibras podem aliviar a situação. Caso o esforço ao usar o banheiro seja excessivo, causando dor e desconforto, procure ajuda médica.

- Enjoo: bastante comum também no primeiro trimestre da gestação, o sintoma indica que a placenta está produzindo altos níveis de hormônio, o que é um bom sinal. Geralmente, o enjoo se manifesta de manhã, no período de jejum. Por isso, procure se alimentar de algo sólido logo que acordar. O quadro pode se tornar preocupante caso a gestante vomite e não consiga se alimentar. Enjoo associado à febre ou dor de cabeça também pode representar um risco. Por isso, procure um médico.

Fique de olho no blog, pois nós da Munchkin queremos estar sempre presentes nos momentos que fazem a relação entre os pais e o bebê ser cada vez mais intensa. Para a Munchkin, detalhes fazem diferença.

Fontes: Revista Crescer | Hospital Novo Atibaia

#gestação #saúde #cuidados #gestante #prevenção #sintomas

29 visualizações

© 2020 Munchkin - Sylink Baby Products. Importadora e distribuidora dos produtos Munchkin no Brasil.