© 2020 Munchkin - Sylink Baby Products. Importadora e distribuidora dos produtos Munchkin no Brasil. (11) 3559-8490

Bullying: entenda e saiba como identificar



As agressões e intimidações estão cada vez mais frequentes entre as crianças. Uma prática muito comum entre os pequenos em fase escolar, o bullying se caracteriza por agressões intencionais que geralmente ocorrem repetidas vezes. Entenda os diferentes tipos de bullying e saiba identificar se o seu filho está passando pelo problema.

- Bullying verbal: esse tipo de bullying acontece quando há intimidação com palavras cruéis, xingamentos e ameaças em relação a determinados atributos da criança: aparência, etnia, religião ou até mesmo alguma deficiência.

- Bullying físico: trata-se da intimidação física que envolve atos de bater, chutar, fazer tropeçar, empurrar ou tocar uma criança de maneiras indesejáveis, inadequadas e agressivas.

- Bullying relacional: esse tipo de bullying acontece quando há intimidação com táticas de exclusão, para privar que a criança faça parte de algum grupo seja para lanchar, jogar ou praticar alguma atividade social.

- Cyberbullying: acontece quando alguém espalha mentiras e falsos rumores através de e-mails, mensagens de textos e mensagens em redes sociais. Imagens e comentários depreciativos sobre alguém na web também caracterizam esse tipo de bullying.

Muitas crianças não contam para os pais que estão sendo vítimas de bullying. Algumas podem começar a pedir para ficar em casa ao invés de ir para a escola. Então, fique atento a possíveis sinais como cortes, arranhões ou hematomas, bem como roupas danificadas, que podem indicar bullying físico. Já crianças que se afastam, tornam-se temperamentais repentinamente ou apresentam alterações de humor frequentes podem estar sendo vítimas de bullying verbal ou relacional. Caso a criança passe muito tempo online e pareça triste ou ansiosa após esse período, pode ser que esteja lendo comentários dolorosos sobre ela.

Se você suspeitar que seu filho está sendo intimidado, tente conversar. Pergunte o que está acontecendo na escola, durante o almoço ou na volta para casa. Caso a criança se abra e conte que está sendo intimidada, elogie sua coragem e faça comentários positivos. O próximo passo é entrar em contato com os professores e coordenadores da escola, para que a situação possa ser monitorada e controlada.

Também cabe aos pais ensinar a importância da criança não participar de nenhum tipo de intimidação. Reforce que todos merecem ser bem tratados, ensine autorrespeito e a apreciar as qualidades dos outros.

Fique de olho no blog, pois nós da Munchkin queremos estar sempre presentes nos momentos que fazem a relação entre os pais e o bebê ser cada vez mais intensa. Para a Munchkin, detalhes fazem diferença.

Fontes: Pais e Filhos | Revista Crescer

#bullying #educação #cuidados #escola

7 visualizações